Resquícios

crônicas do cotidiano, resenhas mirabolantes & um tonel de sentimentos

Olá você do lado dai!

Sou a Luciana, mas pode chamar de Lu, artista de hand lettering, blogueira, ilustradora, designer e artesã, viciada em pinterest, café, chá de maça, Harry Potter e BTS. Tem uns textos meus por ai desde 2010.

Leia Também

eu não tenho nada contra, tenho até amigos que são, mas...


Pensa em uma frase Infeliz, assim mesmo com IN maiúsculo para ver se as pessoas que a usam tanto, enxerguem o quão ruim ela pode ser. Sério, tenho o costume de estapear a pessoa que diz isso em pensamento, porém esse não é o foco agora. Por que estou falando sobre isso? Bem, tudo começou com uma conversa normal sobre um determinado profissional, sua orientação sexual e como ele deveria se preservar mais perante o mundo, e ao final de tudo isso ainda escutei a infeliz não tenho nada contra, tenho até amigos que são, mas... ah, os olhos deram um giro de 360º, e depois parei para analisar a situação. 

Vamos começar com o famigerado se preservar, você que está do outro lado, lendo essa pequena crônica o que é se preservar? É não mostrar em suas redes sociais quem você é? Agir como a sociedade quer? Ser o bom moço ou a boa moça que o mundo diz que deve ser? Não deixar que as pessoas saibam a sua orientação sexual? É não deixar o mundo saber que você está feliz com seu parceiro ou parceira? Não permitir que as pessoas saibam que você não se sente feliz no corpo que nasceu? O que é se preservar? Atuar como uma pessoa que você não é, só para que a sociedade não te maltrate, não te ignore como ser humano e não te questione como profissional? Isso é se preservar? 

Veja bem, eu não tenho lugar de fala nenhum aqui, afinal sou hétero, mas me questiono todos os dias quando escuto ou leio isso onde foi que errei como ser humano, onde foi que erramos para chegar onde chegamos? Qual a diferença de eu – enquanto hétero – expor minha vida, meus relacionamentos, meu corpo para a pessoa que é homossexual e faz a mesma coisa? Bem, não gritamos tanto para o mundo que devemos ser nós mesmos, sem se importar, que o importante é ser verdadeiro? Então por que torcer o nariz ao ver tal situação? Por que pedir para um profissional se preservar para que os clientes não questionem seu trabalho? 

Repito, o que é se preservar para você? 

Por que não dizemos a todos que devemos nos preservar? Por que dizer apenas a um grupo específico de pessoas? 

Agora sobre o outro ponto, tenham em mente que a frase eu não tenho nada contra, tenho até amigos que são, mas... não é argumento positivo, não faz com que você concorde com tudo ou faz com que seja compreensivo, mas também não te torna um preconceituoso. Esse mas no final de qualquer frase sobre alguém diz que tem algo ali que você não concorda, como ele é bonito, mas.. ou até mesmo ela canta bem, mas..., não existe elogio ou frase de apoio seguido de um mas, parem de dizer o que vocês acreditam que querem ouvir com um mas no final. 

Deixem que sejam elas mesmas, sem medo de serem repreendidas por um mas? Vamos substituir o não tenho nada contra por um que trabalho incrível esse seu? O tenho até amigos que são por um caramba você está fazendo história aqui? O mas por um obrigado por seu trabalho, por seu esforço, por sua história, por ser você sem medo, por nos inspirar? Que tal se importar e apoiar de verdade, e não apenas fazer textão em rede social para hitar e pagar de sensato? Que tal se reeducar e buscar compreender o que realmente é esse momento que estamos vivendo e o quão pensada pode ser essa frase? 

Olhe para dentro de você e se pergunte como se sente quando questionam seu trabalho? Agora se questione como se sentiria se questionasse seu trabalho por ser hétero. Pratique a empatia e não apenas fale sobre ela, se importe e se preocupe com o outro de verdade. Não julgue, mesmo que pelas ações, ainda mais se não quiser ser julgado. 

Talvez essas palavras aqui jogadas não diga nada com nada e faça você pensar que estou maluca e que não tenho local de fala - o que não tenho mesmo -, mas sendo bem sincera, eu não me importo com o que vão achar de mim, e sim que possamos nos reeducar, tenho feito tanto isso, buscado aprender, e tentando não cometer julgamentos. Eu não sou perfeita, você não é perfeito, sabemos bem disso, ninguém nasceu sabendo o que era certo ou errado, o desenvolvimento do pensamento mundial diz muito sobre quem somos, pessoas engolidas por uma cultura conservadora e machista que tentam nos impor como agir, falar e acreditar. 

Mas, sabe de uma coisa? Não são eles que determinam quem sou ou quem você é, somos as únicas pessoas que podem determinar isso. Então eu te pergunto, você quer conhecer o mundo, sua diversidade, suas diferentes formas de amar ou quer seguir uma massa não pensante que vive em uma caixa escura? 

Tenho amigos homossexuais. Assim com ponto final e sem mas, e agradeço todos os dias por tê-los ao meu lado, por me ensinarem, reeducarem, me mostrarem que todos as formas de amor são válidas e que nossa orientação sexual não nos torna diferente uns dos outros, ainda somos humanos de carne e osso com o mesmo destino no fim da vida. Conheci seus medos, seus receios, seus sonhos e suas lutas diárias. Eu os conheci e compreendi, ou ao menos tentei. 

O ser nós mesmos é o que torna tudo tão mais interessante. Que possamos abrir a mente, pensar fora da caixa e não terminar frases com mas, que possamos compreender uns aos outros e lutar juntos, que paremos de nos meter uns nas vidas dos outros, de ditar regras e que comecemos a nos apoiar. Que possamos ser mais estou com você, sem mas e sem medo.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *