Resquícios

crônicas do cotidiano, resenhas mirabolantes & um tonel de sentimentos

Olá você do lado dai!

Sou a Luciana, mas pode chamar de Lu, artista de hand lettering, blogueira, ilustradora, designer e artesã, viciada em pinterest, café, chá de maça, Harry Potter e BTS. Tem uns textos meus por ai desde 2010.

Leia Também

I'm so tired


Essa não sou eu. Definitivamente não. Acho que demorei um pouco para chegar a essa conclusão, ou melhor, para perceber o quão fundo eu estava indo. Me sinto tão cansada de tentar ser algo que não sou, de me afundar cada vez mais na escuridão a qual eu mesma me joguei. Cansada de estar perdida, de me sentir para trás. Cansada de não saber o que fazer e de me sentir inútil. Cansada de acreditar que não estou fazendo nada de útil da minha vida, quando todos parecem estar de vento em polpa.

I’m so tired.

Parece bobagem falando assim, mas é exatamente dessa forma que me sinto. Que me vejo, já tentei me levantar várias vezes, mas tem dias que tudo parece difícil, sinto como se estivesse sendo tomada por meus pensamentos. Me sinto engolida por minha própria mente.

É isso. Estou sendo consumida por minha mente.

Como faz para parar? Como faz para tomar o controle de nós mesmos? Como? Pois, sinceramente já deixei de tentar encontrar tais respostas. Ou não, quem sabe. Porém, o cansaço está maior, e o medo também. Passo dias longe de tudo, longe de todos, no meu mundinho escuro, sem ânimo para manter conversas ou qualquer outra coisa. Prometi a mim mesma que me levantaria e seguiria em frente.

Como fazer isso quando se perdeu de si?

Ah, são tantos questionamentos sem fim, sem respostas, sem sentido. Uma mente turbulenta, um corpo desanimado, fraco. Um máscara de que “está tudo bem” que nunca mais foi tirada, como se sem ela eu estivesse nua perante todos, e talvez seja a verdade, pois não sei mais quem sou por baixo dela, já não sei se existe um 'eu' sem a máscara, tenho a vaga sensação que se tirá-la virarei mero pó carregado pelos ventos.

Não sei mais como levantar. Nem sei se ainda quero me levantar.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *